segunda-feira, agosto 30, 2010

Já pensou?

Dentro de você tem dois pólos: o bem e o mal. E a escolha certa. Nem sempre a escolha certa é o bem, as vezes o mal pode ser bom. Mas para saber diferenciá-los é necessário uma capacidade extraordinária de percepção. Muitos me dizem paara não encarar de frente, porque vou acabar batendo de cabeça. Mas o que posso fazer? É você que faz isso comigo, que me deixa assim. Não consigo agir de nenhum modo diferente desse. Me jogo de cabeça, de corpo, de tudo. Porque acreditei que você estaria ali para me segurar, para sempre, como você havia dito que seria. Fui boba, ingênua, mas fui feliz. Porque você não estava lá para me segurar. Eu quebrei a cabeça, sim. Mas agora eu tenho uma cicatriz que me fará lembrar que você não estava lá como eu acreditei.
E agora sei que aquelas pessoas que me avisaram para não me jogar de cabeça, estavam certas. Não soube ao certo como elas sabiam que isso aconteceria, mas depois descobri. Descobri que isso estava óbvio, estava bem a minha frente. Mas a reação que você provocava em mim me deixou cega, não pude enxergar. Só ouvir, e ouvi você. A consequencia disso é essa cicatriz que agora tenho na minha cabeça.
Agora nunca mais quero me jogar de cabeça novamente. Perdi a confiança nas pessoas. Talvez isso seja algo bom ou ruim, mas sinto aqui dentro de mim que irei cometer esse erro novamente. Cheguei a conclusão de que não se manda no coração. Se manda na mente, nas mãos, nos olhos, nas pernas, na boca... mas no coração, não. Por isso se alguém vier a provocar essa reação em mim novamente, ficarei cega. E quebrarei a cabeça de novo. E isso vai acontecer até o dia em que eu me machucar tanto, que meu coração não bata mais. Muitos me perguntam se eu me arrependo de ter me jogado de cabeça. Eu digo sim, mas lá no fundo, a resposta é não. Eu não me arrependo. Apesar de ter cicatrizes, passei muitos momentos bons, e cada uma dessas cicatrizes me lembram que não devo confiar em ti, mas também lembram das coisas boas que passamos juntos, todos os risos, beijos, abraços... E todas as vezes que vc me consolou quando precisei ser consolada. Mesmo eu não merecendo. Você fez isso porque me amava, e isso é uma das poucas coisas que eu tenho certeza.
Qualquer um no seu lugar teria me deixado, mas como você me amava, fez a escolha certa. Essa é a diferença entre as escolhas. Existe o certo e o errado, o bem e o mal. E a escolha certa. A que você escolher foi o mal, mas foi a escolha certa. "Procure me amar quando eu menos merecer, porque será quando eu mais precisarei." . Bbjbj:*

OBS.: Inspirado em um blog que eu li.

Nenhum comentário:

Postar um comentário