domingo, novembro 14, 2010

T.O.C

Para quem não sabe, T.O.C é a abreviação/sigla de Transtorno Obsessivo Compulsivo. Vou explicar: Uma pessoa com T.O.C é uma pessoa que tem uma ou várias manias, porém, essas manias não são como... sei lá, como mania de combinar cores para se vestir, são mais sérias. São manias que se tornam -como diz o próprio nome- obsessivas, e compulsivas. Por exemplo uma pessoa que tem mania de deixar tudo alinhado. Ela vai jantar com os amigos, vem o garçom, coloca os pratos, talheres, etc... em cima da mesa. O indivíduo com T.O.C começa a ficar nervoso até que uma hora ele não aguenta mais, e começa a alinhar os talheres aos pratos, e assim por diante, até que tudo fica em perfeita sintonia. Ela não faz isso porque tem mania de arrumação, isso também, mas principalmente porque se ela não fizer, vai ficar louquinha. Mesmo.

É uma doença em que o indivíduo apresenta obsessões e compulsões, ou seja, sofre de idéias e/ou comportamentos que podem parecer absurdas ou ridículas para a própria pessoa e para os outros e mesmo assim são incontroláveis, repetitivas e persistentes. A pessoa é dominada por pensamentos desagradáveis que podem possuir conteúdo sexual, trágico, entre outros que são difíceis de afastar de sua mente, parecem sem sentido e são aliviados temporariamente por determinados comportamentos. O Transtorno Obsessivo-Compulsivo é considerado o quarto diagnóstico psiquiátrico mais frequente na população.

Olhem esse depoimento de uma blogueira que sofria de T.O.C: "Meus medos eram bizarros para uma menina de seis anos; temia acidentes terríveis com meus pais e caso não realizasse certos rituais eu seria culpada pelo infortúnio. Nessa época era muito estranha para mim a tirania desses rituais, como por exemplo, pisar em tapetes, pular os riscos da calçada e mais uma variedade esdrúxula deles, sempre condicionados a evitar uma tragédia qualquer. Caso tocasse algum objeto especialmente definido por minha própria doença e sem minha participação, pronto! Poderia ficar grávida. Tinha um lado de meu juízo com perfeita noção de não acontecer nada, caso não seguisse à risca meus rituais. Tinha consciência que era só o medo das coisas acontecerem. Este lado consciente sabia tratar-se de alguma loucura da minha cabeça. O outro lado de mim é que era o grande problema; fazendo pouco caso de minha razão e de minha vontade, esse lado me obrigava a realizar os tais rituais, caso contrário eu iria sentir-me totalmente culpada. Isso tudo causava grande ansiedade. Essa metade da cabeça dominava a outra e eu não conseguia pensar em mais nada enquanto não realizasse o ritual."

Pois é gente, T.O.C é coisa séria. Se eu não me engano, tem até um vídeo do pecesiqueira que fala sobre isso. Não, não, é um vídeo do Felipe Neto. Olhem só:



Fontes: http://www.youtube.com/watch?v=VKyAGU9b334&feature=topvideos ; http://pt.wikipedia.org/wiki/Transtorno_obsessivo-compulsivo ; http://www.psiqweb.med.br/site/?area=NO/LerNoticia&idNoticia=306.

Texto Não-Relacionado: Gente, hoje eu vou ver Cyrus, quando voltar, eu conto como foi. ;)
Recado: Maria Clara, Jéssica, Maria Eduarda Miranda e Maria Luisa Cantisano, se vocês estiverem lendo essa postagem hoje (14/11) me liguem. Preciso falar com vocês.
Música: YourBiggestFan - NeverShoutNever!

Obrigada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário