terça-feira, março 29, 2011

Eu e Você - Uma História de Amor.

Eu achava que o nosso amor era genérico, puro e simples. Eu sempre fui muito direta com você, e você comigo. E nunca houve nenhum problema nisso. Sempre que estava triste, por mais que tentasse esconder essa imensa melancolia, você encontrava algo errado, e me obrigava a te dizer tudo, e você me ajudava com isso. Isso era uma das coisas que eu gostava em você.

Todos ao meu redor viviam dizendo o quanto nós dois éramos fofos juntos, e o nosso platonismo era totalmente transparente, pois estava a mostra para todos. Nunca te decepcionei, e você nunca me decepcionou. Assim achei que seria por um bom tempo, achei que você seria aquele pelo qual eu tanto esperei, aquele que poderia me oferecer um "para sempre". Me lembro das tardes de domingo, quando íamos juntos a praia, e você me aquecia após me salvar da água gelada. Entre nós, sempre foi tudo perfeito. Mais perfeito do que eu imaginava, era a perfeição com que eu sempre sonhei. Mas então, aprendi que 'perfeição' é como 'conto de fadas', só serve para nos iludir por um tempo, até que a realidade nos puxe de volta. Foi exatamente o que houve entre nós.

Era domingo a tarde, e como sempre, iríamos passear juntos... Eu já estava pronta, te esperando em casa, quando você me ligou avisando que estava doente. "Doente como?" perguntei eu, aflita. Você me dissera para não me preocupar, pois era apenas uma gripe, e que em breve tudo ficaria bem... Com suas palavras eu moldei meu conforto, e confiei em você, como sempre fiz. No dia seguinte você não foi para a escola, e na primeira oportunidade que tive, tratei de te ligar. Você estava diferente. Não sei explicar como, mas estava. Sua voz não era mais doce como antes, e você não me tratava com ternura mais. Senti um aperto no coração, e lhe implorei interminavelmente que me contasse o que estava acontecendo, e você me disse "Esquece, não quero mais você na minha vida!" E então desligou. Com o telefone ainda no ouvido, e olhar perplexo, permaneci naquela posição durante alguns segundos. Era a realidade me puxando.

Depois de algumas tentativas em tentar descobrir o motivo daquilo, percebi que tudo foi em vão. Só achava que merecia uma explicação. Aquilo estava me frustrando... E dia após dia, o garoto faltava. Me perguntava diariamente o que poderia ter acontecido, mas nenhuma resposta vinha até mim. Foi quando o  melhor amigo dele veio falar comigo. Me contou tudo. Disse que ele estava com câncer, internado no hospital, e que agora estava se recuperando, mas que, quando havia me ligado, só estava tentando me poupar de tamanho sofrimento. Meu coração deu um pulo, e minha vontade foi de sair correndo atrás dele naquele exato momento. Foi o que fiz. Perguntei ao amigo dele onde estava internado, e ele me deu as informações. Fui até lá, no quarto, estava a mãe dele, sentada no sofá, e o menino... o meu menino dormindo, tranquilamente, com um sorriso discreto no rosto. A mãe dele veio falar comigo, me explicou a gravidade da situação, me tranquilizou, e me deixou a sós com ele... Ele abriu os olhos vagarosamente, e não se surpreendeu ao me ver, mas sorriu de leve, e aquilo me deixou muito reconfortada. Ele não disse nada, apenas fez sinal para que eu me deitasse ao lado dele... E assim fiz. Até que adormeci, e ao acordar, vi alguém de pé na minha frente. Era ele. Sorridente, já vestido com suas roupas... Havia recebido alta. Agora sei ele não é perfeito, mas é tudo para mim.

Nenhum comentário:

Postar um comentário